terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Filhote de cágado no Parque Ecológico do Córrego Grande

Visitantes têm que tomar cuidado aonde pisam


O ambiente natural do tigre d’água brasileiro, conhecido como cágado, são lagoas, rios e pântanos.  São conhecidos como ‘tigre’ por causa da sua composição amarela e alaranjada como pode observar na imagem ao lado. Os que se encontram no Parque Ecológico do Córrego Grande foram introduzidos no lago junto com carpas e tilápias.

A reprodução aconteceu na primavera, e os ovos foram colocados neste mês. A Educadora Ambiental Talita Góes explica como é feita a desova: “A fêmea sai de dentro do lago e caminha pelo parque até encontrar um local seguro na terra. Ao encontrar o lugar, ela cava e coloca seus ovos. Leva 4 meses para  eclodir os ovos, ou seja, colocados em setembro, nasceram agora em janeiro”. Uma curiosidade que a educadora explicou é que dependendo da temperatura da terra é que designa-se se o filhote será macho ou fêmea.

O grande problema é que como o buraco onde geralmente a mãe coloca os ovos é afastado, há problemas de quando os filhotes querem voltar para lago, devido seu tamanho. Muitas vezes são pisoteados pelos visitantes que não os enxergam, ou são comidos por predadores, como o lagarto. As educadoras somente souberam da desova, pois um visitante e seu filho mostraram um filhote. “É difícil ter esse controle porque quando ocorre a desova, algumas vezes conseguimos ver o local, outras não. Quando soubemos onde foi a desova, ás vezes cercamos o local para sinalizar e ficamos monitorando se algum predador não irá tentar desenterrar e comer os ovos antes do nascimento ou se ninguém vai tirar eles dali”, explica Talita. Quando sabem aonde foi feita a desova, os filhotes são colocados diretamente no lago. “Precisamos da cooperação dos visitantes do Parque até porque eles se espalham para achar o caminho de volta ao lago”, pede a educadora.

Segundo Talita, o filhote encontrado é fêmea, e provavelmente os outros também são. A identificação é através do plastrão (parte debaixo do casco).

Então, ao visitar o Parque, os visitantes têm que tomar cuidado por onde pisam. Caso avistem algum filhote, avisar a Educação Ambiental que fica perto do lago principal do Parque.



Um comentário:

  1. Gente,
    Lá na casa dos meus pais eles compraram uma vez um cágado desses. Sempre fui contra, pois tinha pena do bichinho.
    Estou cada vez mais preocupada, pois ele está crescendo e está cada vez mais estressado dentro do aquário, e meus pais não têm como fazer um lugar maior para ele ficar.
    Queria doá-lo para o Parque, onde ele teria espaço. Será que é possível?
    Por favor, me ajudem. Não aguento mais ver o bichinho sufocado, sem espaço para nadar.
    Tentei ligar nos telefones ali ao lado, mas ninguém atendeu. Vou tentar novamente em outro horário.
    Qualquer coisa meu e-mail é yasmineholanda@gmail.com
    Obrigada!
    Yasmine

    ResponderExcluir